Ouça agora na Rádio

foto-locutor

Buscando...

Buscando...

Saúde

Compartilhe agora

Região contabiliza 3.461 casos positivos em 32 dias

Postado em 09/12/2020 por

Feature image

*Fonte imagem : 06*


Pela terceira semana seguida o Sistema de Distanciamento Controlado do RS deliberou para a região (R16), a bandeira vermelha, o que, pela metodologia aplicada, significa alto risco de contágio pelo novo coronavírus.

Diante disso, o Comitê Regional de Atenção ao Coronavírus da Associação de Municípios do Alto Uruguai (Amau), que monitora vários indicadores por meio da Plataforma Regional de Monitoramento (PRM), avalia a disseminação, estágio e evolução da pandemia em âmbito regional.

Em observação a gráficos e dados de fontes oficiais, foi verificado que no período de 27/10 a 11/11 (16 dias) a região teve 931 casos confirmados de covid-19, segundo dados do Sivep-Gripe, do Ministério da Saúde. Nessa avaliação, a faixa etária que mais se contaminou foi a de 20 a 29 anos, com o registro de 254 casos, dos 931.

Em um segundo recorte, de 12/11 a 27/11 (também de 16 dias), foi verificado que houve uma expressiva elevação no número de contaminados, com registro de 2.503 casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus. Ao fazer um comparativo, no segundo recorte ocorreram 1.572 casos a mais, o que representa um aumento de 168,85%. “Porém, nesse segunda amostra, verificamos que a faixa etária que mais se contaminou foi de 30 a 39 anos, com 573 casos, num percentual de 22,90% do total de casos. Também verificamos pela tabela que as contaminações abaixo de 50 anos correspondem a 68,47%, o corrobora com a tese que a população mais jovem é que vem se contaminando e, por sua vez, disseminando o vírus”, avalia o membro do Comitê Regional, Jackson Arpini.

Com relação ao sexo, nas duas análises, a contaminação foi maior de mulheres, com pequena diferença. Dos 2.503 casos, 1.366 foram do público feminino (54,60%) e 1.137 de homens (45,40%).

Quanto aos exames utilizados para confirmação da contaminação, a maioria foi por teste de antígeno (46,34%), sendo que, por RT-PCR o percentual foi de 36,69%.

Avaliação

De acordo com Jackson, é possível observar que, nos dois recortes houve uma contaminação mais expressiva da população jovem, abaixo de 50 anos, sendo que a predominância ficou para a faixa de 20 a 39 anos. “Nesse sentido estamos chamando a atenção para aquilo que os números indicam, ou seja, os mais jovens estão se contaminando e contribuindo para disseminação da pandemia na região. Do mesmo modo, podem estar levando o vírus para seus familiares, que muitas vezes, pelo agravamento do quadro clínico, necessitam de internação hospitalar, o que está sobrecarregando os serviços”, alerta, citando que, tomando como base os índices, a disseminação está acelerada, haja visto o número de casos, de 3.461 em 32 dias, e a elevação de um período para outro, passando de 931 para 2.503 casos confirmados. “Pelos números podemos inferir que parte da população não está adotando as medidas preconizadas, caso contrário, os índices seriam outros”, reforça Arpini. 

Nesse sentido não tem como não fazer um apelo à população mais jovem. “Não é momento para reuniões, aglomerações, baladas e encontros, tendo em vista os nossos indicadores preocupantes e críticos. O que está distante pode bater à nossa porta”, afirma.

Por fim, Arpini pontua que uma situação leva a outra. “O aumento expressivo de casos confirmados levou, na sequência, a um aumento considerável das taxas de ocupação dos leitos hospitalares, tanto para UTI como para clínicos. Após, como um indicador tardio, verificamos o aumento no números dos óbitos. Os números são um relato do comportamento social e verificamos, fruto desse triste cenário, que em aproximadamente 30 dias tivemos mais de 20 óbitos na R16”, comenta.

Fonte: Jornal Bom Dia

Deixe um comentário

Ao enviar um comentário você concorda com nossas politicias de comentários, saiba no link ao lado. política de comentários